Recursos Educacionais Abertos 2013.1 – ementa e leituras

Compartilho neste post a ementa e lista de referências das disciplina Tópicos Especiais: Recursos Educacionais Abertos, que darei em 2013.1. Serão 15 encontros de 3 horas por semana – outra hora comparilharei o plano para essas sessões e, mais tarde, comentários sobre a experiência. O plano inclui, além de leituras e discussões presenciais, discussões online e, é claro, um elemento de “mão na massa”: criar, remixar e refletir sobre ambas as experiências!

TÓPICOS ESPECIAIS EM TICPE: Recursos Educacionais Abertos (REA)

Ementa: Recursos Educacionais Abertos (REA) como campo multidisciplinar emergente e seu impacto nas práticas de ensino e aprendizagem: de objetos de aprendizagem, conteúdo aberto e software livre a práticas e recursos educacionais abertos; discursos constitutivos do campo; interoperabilidade, sustentabilidade e direitos autorais; abertura, autoria e autonomia; modelos pedagógicos e teorias da aprendizagem com recursos abertos; REA e políticas públicas.

Referências básicas

AMIEL, T.; Recursos Educacionais Abertos: modelos para localização e adaptação. Educação Temática Digital. v.12, n. esp., p.112-125, mar. 2011. Clique aqui para acessar.

AUDINO, D. F.; Nascimento, R. S. Objetos de aprendizagem – diálogos entre conceitos e uma nova proposição aplicada à educação. Revista Contemporânea de Educação v. 5 n. 10 p. 128-148. 2010. Clique aqui para acessar.

BROWN, J. S.; ADLER, R. P. Minds On Fire: Open Education, the long tail, and Learning 2.0. EDUCAUSE Review, v. 43, n.1, p. 16–32. 2008. Clique aqui para acessar.

CASTELLS, M.  A era da informação: economia, sociedade e cultura. v.2  O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

DANIELS, H. Vygotsky e a pedagogia. São Paulo: Loyola, 2003.

FERREIRA, G. M. d S. De conteúdo a recurso, prática e pedagogia: sobre o movimento REA e suas ramificações. Revista Educação e Cultura Contemporânea v. 9, n.18, p. 20-37. 2012. Clique aqui para acessar.

KNOX, J. Five critiques of the Open Educational Resources movement. Blog post em Technology, culture,  learning.  Jeremy  Knox  Blog. 28  de  março  de  2012. Clique aqui para acessar.

O´REILLY, T. Design Patterns and Business Models for the Next Generation of Software.  2005. Clique aqui para acessar o texto em inglês e aqui para a versão em espanhol (2006)

SANTANA, B; ROSSINI, C. PRETTO, N. D. L. (2012) Recursos Educacionais Abertos. Práticas colaborativas e políticas públicas. São Paulo; Salvador: Casa da Cultura Digital/EDUFBA. 2012. Clique aqui para acessar.

SANTOS, A. I.; COBO, C.; COSTA, C. (Orgs.). Recursos Educacionais Abertos. Compendium. Niterói: CEAD/UFF. 2012. ISBN 978-85-62007-35-4. Edição trilíngue. Clique aqui para acessar.

SANTOS, A. I. The discourses of OERs: how flat is this world? Journal of Interactive Media in Education  (JIME),  Maio  2008.  Clique aqui para acessar.

Referências complementares

ATKINS, D. E.; BROWN, J. S.; HAMMOND, A. L. A Review of the Open Educational Resources (OER) Movement: Achievements, Challenges, and New Opportunities. Report to the William and Flora Hewlett Foundation. Menlo Park, CA: Hewlett Foundation, 2007.  Clique aqui para acessar.

D´ANTONI,  S.  (Org.)  Open  Educational  Resources.  Conversations  in  Cyberspace.  Paris: UNESCO,  2009. Clique aqui para acessar.

MCANDREW,  P.;  SANTOS,  A.;  LANE,  A.;  GODWIN,  S.;  OKADA,  A.;  WILSON,  T.; CONNOLLY, T.; FERREIRA, G. M. d. S.; BUCKINGHAM-SHUM, S.; BRETTS, J.; WEBB, R. OpenLearn Research Report 2006 2008. Milton Keynes: The Open University, 2009. Clique aqui para acessar.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT (OECD). Giving Knowledge for Free: the Emergence of Open Educational Resources. Paris: OECD Publishing. Clique aqui para acessar

OKADA, A., FERREIRA, G. Co-authorship in the age of cyberculture: Open Educational Resources at the Open University of the United Kingdom. Teias v.13 n. 29 p. 287-312. 2012. Clique aqui para acessar.

ROSSINI, C. Green Paper: the state and challenges of OER in Brazil: from readers to writers? Nova Iorque: Open Society Foundations. Versão 0.1 de janeiro de 2010. Clique aqui para acessar.

SANTOS, A. I.  Open Educational Resources in Brazil: State-of-the-art, Challenges and Prospects for Development and Innovation. Moscou: UNESCO Institute for Information Techologies in Education, 2011. Clique aqui para acessar.

SANTOS, A. I. O conceito de abertura em EAD.  In: LITTO, F. M.; FORMIGA, M. (Org.). Educação a Distância. O Estado da Arte (p.290-296). São Paulo: Pearson, 2009.

WILEY, D. Open source, openness, and higher education.  Innovate, v.  3 n. 1. 2006. Clique aqui para acessar.

2 comentários

Leave your comments - Deixe seus comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s