Produções TICPE recém-publicadas

Além do trabalho completo nos anais do VII Colóquio Internacional de Filosofia da Educação, que pode ser baixado aqui, tivemos os seguintes trabalhos publicados no final do mês de agosto:

Facebook e Recursos Educacionais Abertos na formação de pesquisadores em educação: percepções e reflexões” (Profa. Giselle e suas orientandas Aline Campos, doutoranda, Helena Bártholo, mestre egressa em 2014 e Simone Markenson, doutoranda), publicado na revista Educação, Formação e TecnologiasPortugal. O artigo

discute a integração do Facebook numa disciplina presencial de curso de pós-graduação que analisou o movimento dos Recursos Educacionais Abertos e foi ministrada a 14 estudantes. Para compreender a experiência, foram analisadas as postagens compartilhadas durante o semestre, os diálogos conduzidos em grupos focais presenciais e as anotações da docente. Este texto discute os usos feitos do site; as percepções dos participantes acerca da integração de atividades online e presenciais; e os desafios associados ao uso da plataforma. Proposto inicialmente como ferramenta de apoio administrativo, ao longo do semestre o site foi sendo gradualmente construído como ponto aglutinador das atividades de ensino e aprendizagem. O texto, escrito colaborativamente por um subgrupo de participantes da disciplina, sugere que, além de usos genéricos documentados na literatura pertinente, a plataforma oferece potencial para a aprendizagem experiencial sobre temáticas relevantes da Educação contemporânea, incluindo as noções de “abertura” e “colaboração”.

Desafios e possibilidades para a inclusão digital da terceira idade” (de Elisa Loreto, mestre egressa em 2012, e sua orientadora, Profa. Giselle), na REVEDUC, da Universidade Federal de São Carlos; este artigo

discute desafios e oportunidades da Inclusão Digital da Terceira Idade com base em uma pesquisa empírica, que teve como objetivo analisar a formação para a Inclusão Digital oferecida em um Curso de Informática de uma Universidade Aberta da Terceira Idade. A pesquisa, de cunho qualitativo, contou com 26 participantes (23 alunos, dois professores e um coordenador de curso) e utilizou uma combinação de métodos de coleta de dados (observação participante, questionários, entrevistas, grupos focais e fontes documentais) e a análise de conteúdo. O texto sugere que, apesar de possuir diversas limitações estruturais e organiza- cionais, o curso promove uma forma básica de inclusão digital, a qual, embora limitada em relação às possibilidades do ciberespaço e da cibercultura, tem enorme valor para seu público.

Clique aqui para baixar o artigo sobre Facebook e REA.

Clique aqui para baixar o artigo sobre inclusão digital da terceira idade.

 

 

Leave your comments - Deixe seus comentários!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s