Teorização

Lançamento do e-Book 2017: data para a agenda!

Em meio à usual correria associada ao fechamento do semestre acadêmico, organizamos uma nova data para o lançamento (presencial) de nosso e-Book Educação e Tecnologia: abordagens críticas.

Convidamos os interessados a juntarem-se a nós no dia 3 de agosto, quando contaremos com a presença dos Profs. Ralph Ings Bannell e Raquel Goulart Barreto, que oferecerão palestras baseadas em seus respectivos capítulos.

Coloque em sua agenda e clique na imagem ou aqui para baixar o cartaz-convite.

Esperamos ver (e rever) amigos e colegas interessados em discussões sobre a Educação e Tecnologia: até lá!

Lesley Gourlay talks about her chapter in *Education and Technology: critical approaches *

We are pleased to continue the series of video presentations by authors who contributed chapters to our 2017 e-Book Education and Technology: critical approaches, bringing you, today, Lesley Gourlay, Reader at the Institute of Education, UCL, London. The author talks about her chapter “Re-embodying the digital university”:

The chapter offers pertinent and profound questions; in particular, the author challenges the binary ‘digital’ vs. ‘material’, an idea that supports a great deal of discussion on the presence of digital technologies in education. This is worth a reading!

You might also like to watch already published presentations by some of the other book contributors: Audrey Watters, Richard Hall and Jeremy Knox. Alternatively, find the videos directly on our YouTube channel.

Click here to download the complete e-Book.

We also prepared a separate Portuguese version of Lesley’s chapter that can be downloaded here.

 

Lesley Gourlay fala sobre seu capítulo no e-Book *Educação e Tecnologia: abordagens críticas*

Temos o prazer de dar prosseguimento à série de apresentações em vídeo de autores que contribuíram capítulos para o nosso e-Book de 2017, Educação e Tecnologia: abordagens críticas, trazendo, hoje, Lesley GourlayReader no Institute of Education, UCL, Londres. A autora apresenta seu capítulo “Re-corporificando a universidade digital“:

O capítulo lança algumas provocações muito pertinentes; em particular, questiona a dicotomia “digital” vs. “material’, ideia que perpassa muito da discussão em torno da presença das tecnologias digitais em contextos educacionais. Vale a leitura!

Recomendamos, também, as apresentações previamente publicadas de outros colaboradores do livro: Audrey Watters, Richard Hall e Jeremy Knox. Alternativamente, assista diretamente os vídeos acessando o Canal TICPE no YouTube.

Clique aqui para baixar o e-Book completo, ou aqui para baixar a separata da versão em português do capítulo.

 

We now give the floor to … Jeremy Knox!

Continuing the series of video teasers of the chapters in the e-Book Education and Technology: critical approaches, we now give the floor to Jeremy Knox, Lecturer at the University of Edinburgh, Scotland.  The main theme of ‘How goes the revolution: three themes in the shifting MOOC landscape’ ” is, obviously, the Massive Open Online Course:

Jeremy also talks about Learning Analytics and raises important questions concerning the increasing use of automation in education.  We recommend a back-to-back reading of Ralph Ings Bannell‘s preface, ‘A double-edged sword’, which, amongst other issues, tackles the question of automation enabled by the latest developments in AI. Giota Alevizou‘s piece ‘From mediation to datafication: theorising evolving trends in media, technology and learning’ also tackles related issues within the broader context of Open Education, which is treated from a historical perspective by Martin Weller in his chapter ‘The development of new disciplines in education – the example of Open Education’.

Prior to this chapter in the e-Book, we had already published in Diálogos a translation of another piece by Jeremy: Cinco críticas ao movimento REA (in Portuguese). Unfortunately, the original blog post in English (linked to in that post) is no longer available, but Jeremy published an article based on it in Teaching in Higher Education: “Five critiques of the Open Educational Resources Movement“.

He also has an excellent book on MOOC: Posthumanism and the Massive Open Online Course , published by Routledge in 2016 – compulsory reading to anyone thinking about MOOC who may want a more substantiated reading that goes much beyond the usual exaggerated claims about their ‘disruptive’ powers.

This is the link for contacts with the author via Twitter –  https://twitter.com/j_k_knox.

Click here to download the complete e-Book.

A separate Portuguese version of the chapter is available here – and the translation to Portuguese of Five Critiques of the OER Movement can be downloaded here.

 

Com a palavra agora, Jeremy Knox!

Na sequência de apresentações em vídeo de capítulos do e-Book Educação e Tecnologia: abordagens críticas, passamos a palavra a Jeremy Knox, Professor-Pesquisador na Universidade de Edimburgo, na Escócia.  O assunto central do capítulo “A quantas anda a revolução? Três temas na movediça paisagem dos MOOC” é, obviamente, o Massive Open Online Course, Curso Aberto “Massivo” On-line, ou MOOC, como essa classe de cursos é tratada também em português:

Jeremy fala, também, sobre a área da Analítica da Aprendizagem (Learning Analytics – deixo aqui o link para o artigo na Wikipédia em inglês que trata do assunto, pois é razoavelmente detalhado) e levanta questões importantes sobre os usos cada vez frequentes de tecnologias de automatização na educação. Recomedamos a leitura “casada” do capítulo de Jeremy e do texto introdutório de Ralph Ings Bannell, Uma faca de dois gumes“, que também aborda a questão da automatização viabilizada por novas tecnologias de Inteligência Artificial. O texto de Giota Alevizou, “Da mediação à datificação: teorizando tendências em evolução nas mídias, tecnologia e aprendizagem“, também aborda questões pertinentes, no contexto mais amplo da Educação Aberta, que é tratada em uma perspectiva  histórica por Martin Weller em seu capítulo “O desenvolvimento de novas disciplinas na educação – o exemplo da Educação Aberta“.

Anteriormente a esse capítulo no e-Book, já havíamos publicado no Diálogos uma tradução de outro texto (fortemente recomendado) do autor, divulgada nesta postagemCinco críticas ao movimento REA (link direto para a versão em pdf). Infelizmente, o texto original em inglês (cujo link incluí naquele post) não está mais disponível, mas há um artigo nele baseado publicado na revista Teaching in Higher Education: “Five critiques of the Open Educational Resources Movement“.

Jeremy tem um livro excelente sobre MOOC: Posthumanism and the Massive Open Online Course , publicado pela Routledge em 2016 – leitura obrigatória para qualquer um que esteja estudando MOOC e queira aprofundar a discussão para além das alegações exageradas sobre seu potencial de “perturbação” (a bendita “disrupção” da qual tanto se tem falado por aí) da educação.

Este é o link para contatos com o autor via Twitter –  https://twitter.com/j_k_knox.

Você pode baixar o e-Book clicando aqui.

Alternativamente, acesse uma separata da versão em português de seu capítulo clicando aqui.

Por fim, clique aqui para baixar diretamente a tradução para o português de Five Critique of the OER Movement.

 

 

… and the next TICPE-2017 e-Book chapter introduced in a video commentary is…

… ‘Performance information and data-driven academic anxiety’, by Richard Hall, Professor of Education and Technology at De Montfort University, England.

Without further ado, here is the author’s presentation (with subtitles in Portuguese):

Although Richard’s discussion addresses Higher Education in the ‘global North’, in particular, in the UK, readers should be able to notice – reading also Raquel Goulart Barreto‘s ‘Objects as subject: the radical displacement’, that there are several points of contact between Richard’s concerns and questions confronting us in Brazil (and, assumedly, in many other places). In particular: questions concerning teaching associated with market logics and technocractic views of Education and Technology) represented in the types of instructionist Educational Technology that predominate in the “market”). There is a great deal to think about here, a lot of work to be done.

The author keeps the blog Richard Hall’s Space, recommended to anyone interested in questions related to the presence of technology in Higher Education, specifically.

A Portuguese version of Richard’s chapter can be download here.

Alternatively, click here to download the complete e-Book – and take the opportunity to watch (or re-watch) the previous video in the series, by Audrey Watters!

… e o próximo capítulo do e-Book TICPE-2017 comentado em vídeo é…

Informação sobre desempenho e ansiedade acadêmica impulsionada por dados“, de Richard Hall, professor titular de Educação e Tecnologia na Universidade De Montfort, Inglaterra.

Sem mais delongas, assista o vídeo a seguir (com legendas em português):

Ainda que o contexto da discussão de Richard seja a Educação Superior no “norte global”, em particular, no Reino Unido, os leitores poderão constatar, lendo também o capítulo “Objetos como sujeito: o deslocamento radical”, de Raquel Goulart Barreto, que há vários pontos de contato entre preocupações expressas pelo autor e questões que enfrentamos no Brasil. Em particular, há a questão da precarização do trabalho associada à lógica do mercado aliada a uma visão tecnocrática da Educação e Tecnologia (concretizada na vertente instrucionista da Tecnologia Educacional que predomina no “mercado”). Há muito a se pensar aqui, muito trabalho a fazer.

O professor mantém o blog Richard Hall’s Space, que recomendamos a quem tem interesse em questões relativas à presença da tecnologia na Educação Superior, especificamente.

O capítulo do Prof. Hall na versão em português pode ser baixado diretamente deste link.

Alternativamente, clique aqui para baixar o e-Book completo – e aproveite para ver (ou rever) o primeiro vídeo da série, de Audrey Watters!