filosofia da educação

Enquanto o e-book não chega… entrevista com o Prof. Ralph Bannell

Estamos a todo o vapor nos últimos estágios de preparação de nosso e-book, sobre o qual contamos um pouco neste post do ano passado – a trabalheira tem sido enorme (pesquisadores e professores definitivamente não têm férias…), mas estamos muitíssimo satisfeitos com a forma que o volume final tomou.

Em breve, disponibilizaremos um e-book inteiramente bilíngue (português-inglês) com oito capítulos escritos, especialmente para nós, por especialistas de vários países e outros três veiculando textos a serem publicados em nosso idioma pela primeira vez. Há, ainda, uma deliciosa “cereja no bolo”: o belo prefácio escrito pelo Prof. Ralph Ings Bannell, diretor do Departamento de Educação da PUC-Rio, e um dos autores do livro Educação no século XXI: cognição, tecnologia e aprendizagens (Vozes, 2016).

Em seu prefácio, o Prof. Ralph mobiliza ideias e conceitos de diferentes subáreas da Filosofia para pensarmos questões relativas à presença de artefatos digitais na educação de forma aprofundada e contextualizada. Aguarde!

Enquanto o e-book não chega, vale assistir a entrevista concedida pelo Prof. à TV da Faculdade Artur Sá Earp Neto – Faculdade de Medicina de Petrópolis em fevereiro deste ano. Na entrevista, o professor discute, em um contexto histórico-filosófico, algumas das questões que emergem na interface educação-tecnologia, e traz alguns dos assuntos que explora mais detidamente em sua contribuição ao nosso e-book.

Por fim: fique atento à publicação do e-book, prevista para início de abril deste ano,  na página Nossas produções!

Novas publicações de colega do PPGE

Compartilho aqui algumas informações sobre duas publicações (e-books) do Prof. Tarso Mazzotti, nosso colega do PPGE da Linha de Pesquisas em Representações Sociais nos Processos Educacionais, RSPE.

A primeira, Filosofia para as Licenciaturas, editada por Marcus Vinícius da Cunha é uma obra que

tem por objetivo fornecer aos estudantes dos cursos de formação de professores alguns instrumentos conceituais para desenvolverem a análise dos discursos acerca da educação escolar. Analisar é o mesmo que criticar, para isso é preciso dispor de instrumentos cognitivos adequados e pertinentes. Não se espera que os instrumentos próprios da Matemática, por exemplo, sejam adequados para a crítica de argumentos éticos e vice-versa. Uma vez que a Filosofia é apresentada desde sua proposição por Platão, aqui se recordar esse gesto fundador, mostrando que não se constituiu contra os mitos, como geralmente se diz, mas contra os Sofistas, os mestres dos gregos. Assim, a Filosofia nasce em uma situação social e contra um grupo de sábios, os Sofistas, para instituir o que se diz ser a verdade, o real. O que será visto logo nos dois primeiros capítulos. Depois serão apresentadas as principais técnicas argumentativas, os modos de análise retórica e dialética, sem desenvolver a análise lógica, para a qual há bons manuais. A partir do capítulo sete são apresentados exemplos de análise de temas próprios das doutrinas pedagógicas, e, no último, afirma-se que a Retórica é a ciência da educação, bem como das outras técnicas, ou artes, que têm por axioma modal a possibilidade de modificar as crenças, valores e atitudes.

A segunda publicação é o livro Educação ou doutrinação ambiental? Análise retórica dos discursos de ambientalistas latino-americanos. A proposta da obra é a seguinte:

Educação ou doutrinação ambiental? O título estranho, pois a educação ambiental é o ensino de conceitos originados da Ecologia, das Ciências Ambientais, portanto trata-se de educação, não de doutrinação. Esta se caracteriza pela propaganda de uma causa, de uma ideologia, em que os alunos são meios para os seus fins. A doutrinação só pode ser evocada quando se trata de ideologias como a fascista, nazista, estalinista, racista nunca para o ensino de conceitos científicos, como é o caso da educação ambiental.

No entanto, a disjuntiva do título não é arbitrária e expressa um problema: há um consenso ambientalista, assumidamente político, sustentado na ideologia naturalista que adapta os conceitos científicos ao seus quadros conceituais e orienta a educação ambiental, e esta tem por meta conquistar os alunos para a causa ambiental.

A segunda obra já está tendo um impacto bacana: nessa semana, o autor foi convidado para integrar uma mesa no ENDIPE deste ano, onde o trabalho será discutido com especialistas na área! Quando tivermos os detalhes em mãos, divulgaremos aqui.

Ambas as publicações estão disponíveis através da loja da Amazon no Brasil.

Clique aqui para visualizar a página do Prof. Tarso na Amazon.

Clique aqui para acessar o site do Prof. Tarso, onde encontrará os REA criados por ele, seus colaboradores e seus orientandos.