Ambientes Pessoais de Aprendizagem

e-Book Educação e tecnologia: parcerias. Volume 4 – publicado!

Capa Educação e Tecnologias Parcerias vol 4 - proposta 6.5Anunciamos, com muita alegria, a publicação de nosso e-book anual, Educação e tecnologia: parcerias. Volume 4. A coletânea deste ano inclui 9 capítulos que, utilizando uma variedade de abordagens teórico-metodológicas, focalizam temáticas “de ponta” no universo de interlace entre as tecnologias, principalmente as digitais, e a educação.

Seguimos o mesmo processo estabelecido na preparação do volume anterior: um esquema de avaliação cega por pares fundamentando a seleção de trabalhos dentre as propostas enviadas em resposta à nossa chamada aberta. O Prof. Alexandre Rosado foi novamente responsável belo projeto gráfico e editoração cuidadosa do material, que, mais uma vez, inclui uma exposição de novos trabalhos do artista visual João Lin. Atualizamos o estilo da capa, que, neste ano, foi criada também pelo Prof. Alexandre utilizando uma imagem de um mosaico abstrato criado pela mosaicista Eunice Ferreira.

Algumas palavras de nossa apresentação:

A preparação de nosso – agora consolidado – e-book anual é um grande prazer para nós da linha TICPE. Nosso trabalho é artesanal: conduzimos todo o processo nós mesmos, com muito entusiasmo, em um grande mosaico de pesquisadores, orientandos, seus textos e, também, artistas e suas encantadoras obras de arte. Cuidamos desde a seleção dos textos, revisão técnica e diagramação até a disponibilização e disseminação via redes digitais, o que atesta nosso comprometimento com a pesquisa e, acima de tudo, nosso profundo respeito pelo diálogo e cooperação.

Em parte, são as próprias TIC, instrumentos de alta tecnologia, que possibilitam esta empreitada artesanal: das ferramentas livremente disponíveis que utilizamos às plataformas de redes sociais que apoiam nossas redes de contatos. No entanto, mais importante do que artefatos, julgamos que são, de fato, o talento, as habilidades e o comprometimento de todos que contribuem para o processo, incluindo nossos pareceristas e Conselho Científico, o que nos possibilita levar às suas mãos, anualmente, esta coletânea.

O volume inclui, também, uma homenagem personalíssima de Luis Zorraquino, companheiro de nossa saudosa Estrella Bohadana, a quem dedicamos a obra:

A produção deste volume 4 (…) foi marcada pela perda irreparável que sofremos em maio deste ano: a de nossa colega, companheira de aventuras intelectuais e amiga, Estrella Bohadana. Estrella era a única componente original do grupo TICPE, criado em 2000, e uma das responsáveis pela idealização e concretização do volume que deu origem à série. (…)

Agradecemos ao Luis por compartilhar sua perspectiva tão pessoal conosco e com os nossos leitores, e dedicamos o Educação e tecnologia: parcerias. Volume 4 à Estrella.

Agradecemos a todos que contribuíram das mais diversas formas, em particular, os autores, pareceristas e membros do Conselho Científico. Somos, também, muito gratos ao João por sua enorme generosidade em compartilhar, primeiramente conosco e, obviamente, com nossos leitores, seus delicados trabalhos.

Clique aqui para baixar o volume completo.

Clique aqui para baixar o cartaz de divulgação do trabalho (com QR Code).

Clique aqui para acessar a página com links para todos os volumes da série.

 

Anúncios

Teses defendidas na TICPE

Entre 2014 e 2015, tivemos as defesas de duas instigantes teses na linha, então aproveitando que ontem retomei o Diálogos, compartilho os detalhes.

Em final de julho deste ano, defendeu sua tese Ambientes Pessoais de Aprendizagem em Escola de Ensino Médio meu doutorando Rafael Castiglione. A pesquisa do Rafael

teve como objetivo geral investigar o uso das TIC, complementar ao ensino médio presencial, com o propósito de estimular o desenvolvimento da autonomia dos alunos, tendo como base a concepção dos Ambientes Pessoais de Aprendizagem (APA). Deste objetivo geral foram elaborados os objetivos específicos: (a) Identificar as práticas educacionais emergentes que se utilizam de APA na educação formal; (b) Analisar os usos de ferramentas da Web pelos alunos participantes da pesquisa, identificando suas preferências, propósitos e contextos de utilização; (c) Analisar as possibilidades e desafios associados à integração da ideia de APA na educação formal. Tais objetivos foram investigados em um trabalho de Pesquisa-ação, sendo a coleta de dados realizada a partir de entrevistas, aplicação de questionários e observação de campo. O processo de análise dos dados foi quantitativo e qualitativo, sendo neste último utilizado como método a análise de conteúdo. Para dar sustentação à discussão, foram incorporadas considerações pedagógicas, tendo por base contribuições teóricas da aprendizagem, da autonomia, e das TIC, em particular, os Ambientes Pessoais de Aprendizagem. O estudo foi realizado no Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro, no curso técnico de informática integrado ao ensino médio, nas disciplinas “Programação para Web” e “Modelagem de dados”, com a participação de 108 alunos dos três anos escolares, organizados em quatro grupos. Os principais achados foram: (a) confirmação da presença da escola e do professor como importantes atores no processo de aprendizagem; (b) o domínio e a facilidade de migração de ferramentas ligadas à interação social e recepção de informação por parte dos alunos; (c) a possibilidade de construção de uma sala de aula mais autônoma e integrada aos espaços não formais de ensino; e (d) a dificuldade dos alunos em expor e discutir seus pontos de vista, refletida na baixa produção colaborativa e compartilhamento de informações. A experiência sugere a necessidade de investigações futuras acerca do melhor momento da trajetória escolar para a incorporação de processos de construção coletiva do conhecimento apoiadas pelas TIC como uma rede de conexões.

As palavras-chave do trabalho são: Ambientes Pessoais de Aprendizagem; Ensino Médio Integrado; Aprendizagem centrada no aluno; Autonomia

No final de 2014, Mirian Maia do Amaral, orientanda do Prof. Márcio Lemgruber, defendeu seu trabalho intitulado Autorias docente e discente: pilares de sustentabilidade na produção textual e imagética em redes educativas presenciais e on-line. Eis o resumo:

Na contemporaneidade, com a emersão de uma diversidade de modelos autorais e novas formas de colaboração e criação, uma questão desafia os pesquisadores: como autorias coletivas e, ao mesmo tempo singularizantes, podem ser produzidas sob as formas textuais e imagéticas e materializadas em redes educativas, presencial e online? Para responder a essa questão, objetivamos, nessa Tese, identificar e formular indicadores que potencializam e promovem o surgimento de autorias docente e discente, na tessitura do conhecimento, em rede. Amparados pelo paradigma da complexidade, trabalhamos, no âmbito da disciplina eletiva Cotidianos e Currículos: uma prática social em formação, integrante do curso de Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, na perspectiva da pesquisa-formação multirreferencial, e com a ideia de pesquisador implicado com seu campo de pesquisa. Durante três semestres, atuamos em quatro turmas, junto a estudantes provenientes de diferentes tipos de licenciaturas. Dialogamos, também, com os pressupostos das pesquisas nos/dos/com os cotidianos, apoiados no uso intensivo de dispositivos materiais e intelectuais, como diário de itinerâncias, textos científicos, ambientes virtuais de aprendizagem e suas interfaces, oficinas de histórias em quadrinhos e vídeos, entre outros. A partir de atos de currículo, instituímos estratégias pedagógicas que nos levaram a ―pistas‖ de autorias, que apontaram para dimensões integrativas, formativas e tecnológicas, possibilitando-nos identificar um conjunto de indicadores a elas relacionados. Esses indicadores, caracterizados pelas ações engendradas ao longo do processo de aprendizagem, atuaram como ―disparadores‖, potencializando o surgimento dessas autorias, sob diferentes formas: na reprodução textual; no planejamento da sintaxe produtiva; na transposição de gêneros do discurso; no uso da oralidade nos meios virtuais; em processos interativos; na cultura remix; e nos recursos argumentativos e linguísticos. A conclusão a que chegamos é a de que, em tempos de cibercultura, a noção de autoria se torna cada vez mais coletiva e pulverizada. Somos todos autores, em potencial, na medida em que ancoramos nossos dizeres, em nossas memórias e nos dizeres alheios, assumindo uma posição responsiva e responsável pelo que expressamos. Nessa perspectiva, o uso de indicadores privilegia processos colaborativos, interativos e dialógicos potencializando o surgimento de autorias em diferentes níveis.

As palavras-chave do trabalho da Mirian são:Cibercultura; Redes educativas; Formação de professores; Autorias.

Há mais defesas de teses previstas para o final de 2015 – compartilharei os detalhes aqui oportunamente!

Educação e tecnologia: parcerias 3.0: publicado!

Capa-2014

Clique na imagem para visualizar o volume.

É com muito prazer que anunciamos a publicação do e-Book Educação e tecnologia: parcerias 3.0, o terceiro volume organizado pela Linha TICPE. A obra, que reúne 12 capítulos escritos em colaborações que ilustram a riqueza das pesquisas conduzidas em instituições públicas e privadas do país, consolida nossos esforços no sentido de oferecer um espaço de disseminação de trabalhos desenvolvidos em parcerias entre orientadores e orientandos, e, assim, valorizar uma relação essencial à formação de pesquisadores. Transcrevo, a seguir, algumas palavras da “Apresentação”, escrita por mim e pelo Prof. Márcio Lemgruber:

A abordagem do trabalho de docência e orientação na Linha TICPE é marcada por uma preocupação em estimular diferentes modos de pensar e repensar, criticamente, a presença da tecnologia na Educação e, em geral, na vida contemporânea. Nossos orientandos são encorajados a questionar extremos que ignoram ambivalências, a rever suas respectivas posições e considerar visões a elas alternativas. Esperamos, assim, que se abram a um processo de problematização, reflexão e diálogo no qual teoria e prática não mais sejam considerados como polarizações de excludência, típicas do pensamento maniqueísta.

A centralidade de um contraponto complementar entre teoria e empiria, progressivamente mais explícita nos estudos e pesquisas em nossa área, está fortemente representada nas 12 contribuições incluídas no e-book Educação e tecnologia: parcerias 3.0. Dividido em 4 partes que examinam diversos contextos educacionais nos quais as TIC se fazem presentes, o volume demonstra a importância dos estudos empíricos, da investigação de micro-contextos, da ida ao campo, da reflexão sobre o que nele se apresenta ao pesquisador, permitindo que se vá além da mera reprodução de concepções sem compromisso com a contingência.

Tomados como um conjunto de trabalhos que investigam diferentes aspectos da incorporação das TIC na Educação, os textos incluídos na terceira edição de Educação e tecnologia: parcerias visam contribuir para a base empírica que, cada vez mais se amplia, na literatura da área. Pensamos que tal base complementa os escritos mais especulativos, talvez visionários ou, aparentemente, revolucionários, pois o futuro nunca é inteiramente desvinculado das possibilidades latentes no presente, a ponte que permite vislumbrar a historicidade da invenção e criação humanas.

A novidade este ano foi a adoção de um processo de seleção de contribuições por meio de uma chamada aberta e revisão por um corpo internacional de pareceristas. Contamos, também, com mais um belo trabalho de editoração e projeto gráfico feito pelo Prof. Alexandre Rosado, além de uma nova exposição do artista João LinArtesanatos Binários.  Agradecemos a todos os autores, aos membros do Conselho científico, aos pareceristas e, em especial, ao João, por, mais uma vez, compartilhar livremente os seus lindíssimos trabalhos. Faremos o lançamento do volume no IV Colóquio de Pesquisa em Mídias e Educação, a ser realizado na UNIRIO na semana que vem (2-4 dezembro). Clique aqui para baixar o nosso cartaz de divulgação. Clique nos links a seguir para baixar os volumes anteriores da série:

Educação e tecnologia: parcerias (2012)

Educação e tecnologia: parcerias 2.0 (2013)

Lançamento: Recursos Educacionais Abertos e Redes Sociais

Foi lançado no Challenges 2013, realizado na Universidade do Minho em 15-16 de julho, o livro Recursos Educacionais Abertos e Redes Sociais, organizado pela Profa. Alexandra Okada do Knowledge Media InstituteOpen University do Reino Unido e editado pela EdUEMA. Trata-se de uma publicação trilíngue (inglês, castelhano e português) originalmente desenvolvida e disseminada como um e-Book, e que, junto com a obra Collaborative Learning 2.0: Open Educational Resources, também organizada pela Profa. Okada, constitui um estado-da-arte do movimento REA.

O texto original foi revisto e ampliado com a adição de uma Abertura de Larry Cooperman, Presidente do OpenCourseWare Consortium (OCWC), um Prefácio de Murilo Matos Mendonça da UNISUL e membro do Conselho Diretor do OCWC, uma Introdução de Ale Okada e um Guia Temático escrito por mim. A tiragem inicial foi pequena, mas a obra está disponível em pdf com uma licença aberta.

Veja abaixo os mapas (português e inglês) que preparei para acompanhar o texto. São provisórios, é claro, e arbitrários, e em outra ocasião circularei versões editáveis.

Temas chave

Key themes

Clique aqui para ler o guia temático da publicação. 

Clique aqui para baixar o livro completo em pdf.

Clique aqui para visitar a homepage da obra.

Clique aqui para visitar a homepage do livro Collaborative Learning 2.0: Open Educational Resources no site da IGI Global.

e-book interativo

Falando em e-books, a Open University acaba de lançar um e-book interativo muito bacana, sobre Ambientes de Aprendizagem Pessoais, APA (Personal Learning Environments), e Aprendizagem Auto-Regulada, AAR (Self-regulated Learning).

Clique aqui para acessar a página de lançamento, que contém links para a publicação como uma unidade no LabSpace e como e-book para dispositivos móveis.